ANNONA AURANTIACA

FAMILIA DAS ANNONÁCEAS

 

Compre o Guia: Frutas do mato: um guia de identificação, cultivo e usos:

Fascículo 1: 34 espécies de anonáceas brasileiras.

 

FLORES

FRUTOS

 

NOMENCLATURA E SIGNIFICADO: ARATICUM DE CABO VERDE. Também recebe o nome de Araticum do campo.

 

OBSERVAÇÕES: Espécie rara cuja planta mãe nunca foi encontrada em nossas expedições; consegui a planta porque achei as sementes numa trilha de animais silvestres na beira de um cerradão.

 

ORIGEM: espécie endêmica e pouco comum, nativa do cerrado e das caatingas; aparecendo nos estados de Minas Gerais (norte), Tocantins e Maranhão, Brasil. Mais informações no link: http://www.floradobrasil.jbrj.gov.br/

 

CARACTERISTICAS: Arvoreta de 2 a 4 metros de altura, com tronco acinzentado medindo de 10 a 20 cm de diâmetro. Os ramos novos são pilosos esbranquiçados. As folhas são simples, largamente ovadas (forma de ovo) com pecíolo ou haste curta de cor alaranjada medindo de 0,5 a 1 cm de comprimento com indumento (ou pelinhos iguais veludo) de cor brancacenta. A lamina foliar mede de 6 a 11 cm de comprimento e 3 a 6 cm de largura, tem base cuneada (em forma de cunha) e ápice ou ponta apiculada (com ponta curta). Essa espécie é facilmente identificada por se observar o dorso piloso e esbranquiçado das folhas. As flores são amareladadas, axilares e tem forma de hélice, com 3 pétalas amarelo-esverdeadas, crassas ou grossas, com nectários localizados na base das pétalas. Os frutos são sincárpios (união de vários segmentos, com ou sem sementes) com casca areolada ( com pontuações salientes) de cor amarelo claro com pontas angulosas ou arredondadas. O fruto maduro é redondo ou ovóide e mede 7 a 8 cm de comprimento por 4 a 6 cm de largura; e difere-se de outras espécies principalmente por ter haste ou cabo longo de 2,5 a 4,5 cm de comprimento, de cor esverdeada.

 

DICAS DE CULTIVO: Planta de clima subtropical ou tropical, mais resiste a climas onde ocorre geadas de até – 3 grau, pode ser cultivada em todo o Brasil, em qualquer altitude; adapta-se bem aos solos arenosos ou argilosos e vermelhos que sejam profundos, com pH entre 4,6 a 5,8 e com boa quantidade de matéria orgânica dissolvida. Pode ser plantada com sucesso em solos argilosos secos ou sobre montanhas em locais bem drenados. Essa espécie também pode ser cultivada em vasos grandes.

 

MUDAS: As sementes são de cor amarronzada, meio triangulares no comprimento e se armazenadas em local escuro conservam o poder germinativo por até 1 ano. Quando plantadas logo que colhidas, germinam em 90 a 120 dias em substrato feito de 30% de areia, 40% de matéria orgânica e 30% de terra vermelha. As mudas atingem 40 cm com 12 meses de idade, mais apreciam ambiente sombreado para formação. A frutificação inicia-se com 2 a 4 anos, dependendo do solo e tratos culturais.

 

PLANTANDO: Pode ser plantada em pleno sol ou em reflorestamentos mistos, pois produzem frutos comestíveis para a fauna em geral. No pomar planta-se num espaçamento de 4 x 4 m, onde as covas devem ter 50 cm de largura, altura e profundidade, misturando os 30 cm iniciais do solo com 2 pás de areia e 5 a 6 pás de kg de composto orgânico bem curtido; caso o solo seja muito acido é bom colocar 500 g de calcário na cova e deixar curtir por 2 meses antes do plantio. A melhor época de plantio é nos meses de agosto a dezembro. Irrigar com 10 l de água por semana nos primeiros 2 meses.

 

CULTIVANDO: Fazer apenas podas de formação da copa e eliminar os galhos que nascerem na base do tronco ou que se cruzarem para o interior da copa. Adubar com composto orgânico, pode ser 2 pás de cama de frango bem curtida e + 30 gr de N-P-K 10-10-10 dobrando essa quantia a cada ano até o 2ª ano e continuar adubando anualmente na primavera. Lembrar de distribuir o adubo na projeção da copa com distancia do tronco igual a medida da circunferência do mesmo.

 

USOS: Frutifica nos meses de Fevereiro a Abril. A arvore pode ser cultivada na arborização urbana, em terrários ou jardins internos, não podendo faltar na recomposição florestal, pois seus frutos alimentam pequenos animais frutívoros. Os frutos tem polpa doce e saborosa, soltando fácil da semente, por isso é ideal para o consumo in natura. Os frutos também podem ser despolpados e a polpa congelada para uso futuro ou para fabricação de mousses, sorvetes, usar na massa ou recheios de bolos e bolachas. Com o suco da polpa pode ser feito uma bebida espumante semelhante ao champanhe. Os frutos dessa espécie tem casca grossa e resistente ao manejo, podendo durar até 15 dias na sombra ao ar livre, característica ideal para a comercialização dos frutos por pequenos agricultores familiares.


Consulte-nos pelo e-mail hnjosue@ig.com.br ou veja nosso catalogo de mudas disponíveis clicando aqui.  acompanhe-nos no Facebook

 

 

Voltar para Frutas do mato ou VOLTAR PARA FAMÍLIA DAS ANNONACEAS

 

.