ANNONA NITIDA

FAMÍLIA DAS ANONNÁCEAS

 

Compre o Guia: Frutas do mato: um guia de identificação, cultivo e usos:

Fascículo 1: 34 espécies de anonáceas brasileiras.

 

 

Flores

FRUTO MADURO

 

NOMENCLATURA E SIGNIFICADO: Araticum com espinho na casca, ou Guanabana de espinho. Fora do Brasil, recebe os nomes: Anonilla no Peru e Lugma na Colômbia.

 

Origem: espécie rara da floresta pluvial amazônica, ocorrendo próximo aos rios e na mata de terra firme da floresta com nevoeiro. No Brasil ocorre em parte do estado da Amazônia e no estado do Acre. Mais informações no link: http://www.floradobrasil.jbrj.gov.br/

 

OBSERVAÇÕES: Frutificou pela primeira vez no Sitio Frutas Raras em 2.015.

 

Características: árvore pequena e de médio porte, com de 3 a 10 m de altura (depende do habitat), e copa cilíndrica ou mais aberta com 2 a 4 m de diâmetro. Tronco cilíndrico, bifurcado com 10 a 35 cm de diâmetro, de casca áspera de cor pardacenta. Folhagem perene, cartácea (como cartolina), glabras (sem pelos), oblongas (mais longa que larga), medindo 8 a 18 cm de compr. por 3 a 5 cm de larg., com base e ápice apiculado (ponta curta). Essa espécie pode ser facilmente identificada por se observar ramos e galhos novos lenticelados (com pontuações salientes). A flor é solitária, surge nos ramos, em botão anguloso com 1,8 a 2,6 cm, com corola formada de pétalas esverdeadas pubescentes (coberta de pelinhos). O fruto é um sincárpico (pequenos frutos agregados ou soldados pela casca) globoso de 10 a 20 cm com casca fina esverdeada mesmo quando madura com alguns espinhos moles. A polpa é cremosa, espessa, de cor amarela alaranjada e bem saborosa. 

 

Mudas: Sementes tem prazo de armazenamento de no máximo 2 meses, mais que tem índice de germinação superior a 90% quando plantadas assim que tiradas da polpa. Deve ser plantada em substrato arenoso, rico em matéria orgânica, deixados em ambiente sombreado, onde a umidade é mantida, mais nunca se deve deixar encharcar. A germinação ocorre em 40 a 70 dias e as mudas atingem 40 cm de altura com 8 meses após a germinação.

 

Plantando: Em pleno sol ou na sombra com boa luminosidade, em pomares, em jardins botânicos ou em coleções de recursos genéticos por ser espécie rara. Plantar com espaçamento de 4 a 6 m, solos de terra vermelha ou arenosos, que sejam úmidos e profundos, com pH entre 4,5 a 6,8. A variedade aclimatizada que tenho, resiste bem a geadas e 1 a 3 graus negativos, secas de até 5 meses sem chuva, e a ventos moderados. Pode ser cultivada em altitudes de 450 a 1.350 m com temperaturas anuais de 8 a 40 graus. Plantar de out a dez

 

 

Cultivando: Tem crescimento moderado, atingindo 2 m com 20 meses, começando a produzir logo a partir do 4º ou 5º ano após o plantio. Veja como fazer a irrigação, adubação, podas de formação e limpeza na introdução do fascículo. Essa espécie frutifica muito bem se receber irrigação constante. A colheita do fruto vai de julho a setembro e estes são colhidos cortando o pedúnculo ou cabinho no momento em os mamilos espinhosos da casca começam a ficar moles. O Fruto maduro tem coloração esverdeada e a casca é muito fina precisando manusear com cuidado.

 

Usos: Os frutos alimentam pássaros e diversos animais terrestres como pacas, antas, queixadas, quatis e graxains. A polpa é muito espessa e gelatinosa, solta fácil da semente e tem sabor muito agradável que lembra a atemôia e a pera; por isso é fruta de primeira categoria para ser consumida in natura. Após a retirada da casca, a massa pode ser despolpada; podendo ser congelada para uso futuro ou usada imediatamente para fazer sucos, batidas, sorvetes, mousses e pudins. Pela qualidade dos frutos essa espécie merece maior atenção de todos!

 

Consulte-nos pelo e-mail hnjosue@ig.com.br ou veja nosso catalogo de mudas disponíveis clicando aqui. – acompanhe-nos no Facebook

 

Voltar para Frutas do mato  ou Voltar para Annonaceae

 

.

 

 

Voltar para Frutas do Mato ou Voltar para família das Annonaceas

 

 

.