ANNONA PARVIFLORA

FAMÍLIA DAS ANNONACEAE

 

Compre o Guia: Frutas do mato: um guia de identificação, cultivo e usos:

Fascículo 1: 34 espécies de anonáceas brasileiras.

 

 

 

FLORES

FRUTO MADURO

 

NOMENCLATURA E SIGNIFICADO: Araticum da restinga, “do tupi – fruta mole”; também é conhecido pelos seguintes nomes: Araticum da praia e Araticum de folha larga.

 

Origem: espécie rara e característica de matas de restinga e capoeiras da orla marítima da mata atlântica, presente desde o estado da Bahia até Santa Catarina, Brasil. Mais informações no link: http://www.floradobrasil.jbrj.gov.br/

 

Características: árvore de pequeno a médio porte, de 2 a 5 m de altura, com copa cilíndrica e ascendente (para cima) de 2 a 4 m de diâmetro. O tronco é múltiplo, cilíndrico, de superfície reticulada (com desenho de rede). As folhas são alternas, aveludadas em ambas as fazes quando jovem, subcoriácea (textura meio rija), medindo 5 a 16 cm de comprimento por 3 a 10 cm de largura com base cuneada (como cunha) e ápice apiculado (com ponta curta). Essa espécie pode ser facilmente identificada por se observar a lamina foliar evidentemente larga no meio e notar as brotações com pelinhos ferruginosos. As flores medem 14 a 22 mm, nascem nas axilas das folhas das brotações novas, tem forma verticilada (com forma de hélice) e com 3 pétalas notadamente avermelhada na base. O fruto é um sincarpico (pequenos frutos agregados ou soldados pela casca) de 3 a 6 cm com casca corticosa (esponjosa) e muricada (com divisões profundas) ficando amarelo claro quando maduro, tendo polpa branca, gelatinosa e adocicada.

 

Dicas para cultivo: Aprecia pleno sol ou pelo menos metade do dia com sol; plantar com distancia de 3 ou 4 m, entre plantas. Gosta de solo profundo, arenoso e bem drenado, com pH entre 4,8 a 6,2. Resiste bem a ventos fortes, a geadas ocasionais de 2 a 3 graus negativos e a secas de até 6 meses sem chuva. Pode ser cultivada em altitudes variando de 0 a 900 m, e com temperaturas anuais médias entre 10 a 41 graus. Essa espécie pode ser cultivada com sucesso em vasos. A melhor época de plantio vai de setembro a novembro.

 

Mudas: Sementes são de cor amarronzada, meio triangulares no comprimento e se armazenadas em local escuro conservam o poder germinativo por até 2 anos. Quando plantadas logo que colhidas, germinam em 40 a 70 dias. As mudas atingem 40 cm com 10 A 12 meses de idade, mais apreciam ambiente sombreado para formação.

 

Plantando: Pode ser plantada a pleno sol ou em reflorestamentos mistos, pois produzem frutos comestíveis para a fauna em geral. No pomar planta-se num espaçamento de 5 x 5 m, onde as covas devem ter 50 cm de largura, altura e profundidade, misturando os 30 cm iniciais do solo com 2 pás de areia e 5 a 6 pás de kg de composto orgânico bem curtido; caso o solo seja muito acido é bom colocar 500 g de calcário na cova e deixar curtir por 3 meses antes do plantio. Irrigar com 10 l de água por semana nos primeiros 2 meses.

 

Cultivando: Fazer apenas podas de formação da copa e eliminar os galhos que nascerem na base do tronco ou que se cruzarem para o interior da copa. Adubar com composto orgânico, pode ser 3 pás de cama de frango bem curtida e + 50 gr de N-P-K 10-10-10 dobrando essa quantia a cada ano até o 2ª ano e continuar adubando anualmente na primavera. Lembrar de distribuir o adubo na projeção da copa com distancia do tronco igual a medida da circunferência do mesmo. Apresenta crescimento moderado atingindo 1 m com 2 anos, começando a produzir logo na primeira floração que ocorre a partir do 2º ou 3º ano após o plantio. Veja como fazer a irrigação, adubação, podas de formação e limpeza na introdução do fascículo. A colheita do fruto vai de fevereiro a março e os frutos podem ser colhidos quando apresentarem superfície amarelado esverdeada.

 

Usos: A árvore pode ser cultivada na arborização urbana embaixo de redes elétricas e em praças por ter pequeno porte. Deve ser sempre incluída na recomposição florestal, pois seus frutos alimentam pássaros e diversos animais terrestres como pacas, catetos, cutias, e furão. Os frutos são muito saborosos para o consumo in natura e as sementes se solta facilmente da polpa. Os frutos também podem ser despolpados e a polpa congelada para uso futuro ou imediatamente para fazer sucos, bebida espumante como champanhe, gelatinas, mousses e sorvetes. Essa espécie é muito promissora para ser cultivado por agricultores familiares e ser vendido em feiras livres por ter pequeno porte, rápida frutificação e pelo fado de os frutos terem casca resistente ao manejo.

 

Consulte-nos pelo e-mail hnjosue@ig.com.br ou veja nosso catalogo de mudas disponíveis clicando aqui. – acompanhe-nos no Facebook

 

Voltar para Frutas do mato  ou Voltar para Annonaceae

 

.