ANNONA XYLOPIIFOLIA

FAMÍLIA DAS ANNONACEAE

 

Compre o Guia: Frutas do mato: um guia de identificação, cultivo e usos:

Fascículo 1: 34 espécies de anonáceas brasileiras.

 

 

 

FLOR E FRUTO VERDE

FRUTOS MADUROS

 

NOMENCLATURA E SIGNIFICADO: ARATICU-JAÍ vem do tupi e significa: “fruto de massa mole”, e o adjetivo “JAÍ” que quer dizer “torto ou torcido ou estriado” em alusão ao formato do fruto. Também é chamado de Araticuí, Araticum-graviola (pelo sabor do Bruto), Araticum de dezembro, Araticum cagão fêmea e Biribarana.

 

 

OBSERVAÇÕES: anteriormente essa espécie pertencia ao gênero Rollinia que deixou de existir. Nota importante: Essa espécie é muito rara e pouco coletada na natureza, as folhas de arvores grandes e velhas é bem menor e tem aparência semelhante ao gênero Xilopia sendo esse o motivo do nome cientifico. Essa espécie pode ser identificada por se observar ramos novos que tem glândulas ou verrugas salientes de trocas gasosas, facilmente perceptíveis. Encontrei essa espécie em expedição no Rechã em 2.010 quando pensei tratar de uma nova espécie do Gênero Fusaea. Felizmente a planta frutificou no Sitio Frutas Raras em dezembro de 2.0215 e assim pudemos identificar com certeza.

 

Origem: É natural da floresta semidecidua (que perdem as folhas numa época do ano) da mata atlântica em Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná, Brasil. Mais informações no link: http://www.floradobrasil.jbrj.gov.br/

 

Características: Arvore de 6 a 8 metros de altura, com tronco pardo medindo de 30 a 40 cm de diâmetro. As pontas ou brotações são levemente pilosos (coberto de pelos longos) e divaricados (em zig zag) com as folhas novas de cor verde prateada. As folhas são simples, com pecíolo ou haste curta de cor alaranjada medindo de 0,8 a 1,7 cm de comprimento. A lamina foliar mede de 8 a 10 cm de comprimento e 1,5 a 3,5 cm de largura, tem forma lanceolada, base cuneada (em forma de cunha) e ápice ou ponta acuminada ou afinada. As flores são amareladas, axilares e tem forma de hélice, com 3 pétalas amareladas em forma de asas, com nectários localizados na base das pétalas. Os frutos são sincárpios (união de vários segmentos, com ou sem sementes) com casca areolada ( com pontuações salientes) na faze juvenil, de cor verde, ficando verde amarelado quando maduro, medindo 6 cm de comprimento por até 5 cm de largura.

 

Dicas para cultivo: Planta de clima subtropical, mais resiste a climas temperados onde ocorre geadas de até – 3 grau, pode ser cultivada em todo o Brasil, em qualquer altitude; adapta-se bem aos solos arenosos ou argilosos e vermelhos que sejam profundos, com pH de acido a neutro e com boa quantidade de matéria orgânica dissolvida. Pode ser plantado até em beiras de rios onde ocorrem inundações ocasionais.

 

Mudas: Sementes são de cor cinza enegrecida meio triangulares no comprimento e se armazenadas em local escuro conservam o poder germinativo por até 2 anos. Quando plantadas logo que colhidas, germinam em 40 a 90 dias. As mudas atingem 40 cm com 12 meses de idade, mais apreciam ambiente sombreado para formação. A frutificação inicia-se com 2 a 5 anos, dependendo do solo e tratos culturais.

 

Plantando: Pode ser plantada a pleno sol ou em reflorestamentos mistos pois produzem frutos comestíveis para a fauna em geral. No pomar planta-se num espaçamento de 5 x 5 m, onde as covas devem ter 50 cm de largura, altura e profundidade, devendo ser preenchidas com 20% de areia e cerca de 8 kg de composto orgânico bem curtido; caso o solo seja muito acido é bom colocar 2 kg de calcário na cova e deixar curtir por 3 meses antes do plantio. Irrigar com 10 l de água por semana nos primeiros 2 meses.

 

Cultivando: Fazer apenas podas de formação da copa e eliminar os galhos que nascerem na base do tronco ou que se cruzarem para o interior da copa. Adubar com composto orgânico, pode ser 5 a 6 kg de cama de frango bem curtida e + 50 gr de N-P-K 10-10-10 dobrando essa quantia a cada ano até o 2ª ano e continuar adubando anualmente na primavera. Lembrar de distribuir o adubo na projeção da copa com distancia do tronco igual a medida da circunferência do mesmo.

 

Usos: Frutifica nos meses de Novembro a dezembro. Cultivar em pomares e na recomposição florestal, pois seus frutos alimentam pássaros e diversos animais terrestres como pacas, antas, catetos, graxains e cachorros do mato. A polpa é firme, de cor amarelada e muito saborosa, soltando-se fácil da semente, e por isso ideal para o consumo in natura. Após retirar a casca a polpa pode ser processada numa despolpadeira, utilizada para fazer sucos e sorvetes deliciosos ou armazenada em saquinhos plásticos para serem congeladas. Por ser de fácil cultivo e ter produção muito precoce esta espécie é fonte de riquezas que podem ser geradas por agricultores familiares que podem vender os frutos e subprodutos.

 

Consulte-nos pelo e-mail hnjosue@ig.com.br ou veja nosso catalogo de mudas disponíveis clicando aqui. – acompanhe-nos no Facebook

 

 

Voltar para Frutas do mato  ou Voltar para Annonaceae