CHEILOCLINIUM COGNATUM

FAMILÍA DAS CELESTRACEAE

 

PLANTA

FRUTO ABERTO E SEMENTES

FLORES

FRUTOS

 

NOMENCLATURA E SIGNIFICADO: UARUTAMA vem do tupi guarani mais não encontramos a etimologia ou significado. Também recebe o nome de SAPUTÁ E SIPUTÁ.

 

Origem: Nativa de varias formações florestais, ocorrendo principalmente na floreta amazônica e na mata atlântica, desde o estado do Amazonas até Minas Gerais, Brasil. Mais informações no link:  http://www.floradobrasil.jbrj.gov.br/

 

Características: Arvore cipó (pois na mata vira cipó bem lenhoso) de médio porte com ramos longos e folhas avermelhadas na brotação, atingindo 5 a 20 metros (quando na mata) de altura com copa cilíndrica. O tronco é bifurcado e múltiplo, cilíndrico, com casca quase lisa e de coloração verde acinzentado. As folhas são opostas ou subopostas, simples, glabras (sem pelos) em ambas as faces, de textura papirácea (como papel) e com pecíolo ou cabinho muito curto. O limbo ou tecido foliar tem forma oblonga (mais longa que larga), medindo 10 a 15 cm de comprimento por 3 a 4,5 cm de largura, com base cuneada (forma de cunha) e ápice longo acuminado. Essa espécie pode ser facilmente reconhecida por se observar a margem da folha que é minusculamente dentada. As flores são hermafroditas e nascem em fascículos (pequenos feixes) axilares (nasce nos nós maduros e desfolhados) com 10 a 20 flores com sépalas avermelhadas. Os frutos são bagas arredondadas, com 3 a 5,5 cm de comprimento por 4 a 5 cm de largura, com casca amarelo-alaranjado com 4 a 7 mm de espessura, envolvendo 4 a 8 sementes oblongas (mais longa que larga), envoltas por arilo cremoso de cor alaranjada com sabor agradável e exótico.

 

Dicas para cultivo: É planta extremamente adaptável podendo ser cultivada em climas com temperaturas anuais entre 12 a 36 graus, resistindo bem a geadas de até menos -1 graus negativos, frutificando bem em altitudes desde o nível do mar até os 700 m de altitude. Em seu lugar de origem as chuvas vão de 1.000 a 2.500 milímetros anuais. Aprecia solos arenosos, férteis, profundos e ricos em matéria orgânica e que tenham rápida drenagem da água das chuvas e pH em torno de 4,5 a 6,0. Pode ser cultivada tanto em pleno sol ou na sombra e na beira de riachos onde ocorrem inundações ocasionais. Começa a frutificar com 6 a 8 anos

 

Mudas: As sementes são compridas e cilíndricas, tem castanha, e são recalcitrantes (perde o poder germinativo em menos de 1 mês). Após despolpadas e lavadas em água corrente e secas ao sol por 4 horas, recomendo que sejam plantadas diretamente em saquinhos individuais de 20 cm de altura por 8 cm de diâmetro; contendo substrato de 30% de terra, 30% de areia e 40% de matéria orgânica bem curtida. A germinação se dá em 40 a 60 dias, com índice em torno de 90% e as mudas atingem 35 cm com 9 a 12 meses após a germinação.

 

Plantando: Se plantada a pleno sol se torna arvore e se plantada no meio da mata se torna um cipó gigante. Recomendo que seja plantada a pleno sol num espaçamento 5 x 5 m ou 4 x 4 m se for plantada na sombra no meio de outras arvores. As  covas devem ter 50 cm nas 3 dimensões e convém misturar 2 pás de areia saibro + 6 a 7 pás de matéria orgânica, 500 g de calcário e 1 kg de cinzas aos 30 cm de terra da superfície da cova. Deixar curtir por 2 meses, e depois já se pode plantar na melhor época que vai de setembro a novembro. Após o plantio, irrigar 10 l de água após o plantio e a cada 15 dias se não chover e a partir do segundo ano, não precisa se preocupar com irrigação.

 

Cultivando: A planta cresce moderadamente e não necessita de cuidados especiais, apenas deve-se cobrir a superfície com capim seco para manter o solo fresco e úmido e eliminar qualquer erva daninha que possa sufocar a planta. Adubar com 2 a 4 pás de composto orgânico curtido e 30 gramas de NPK 10-10-10. Distribuir os nutrientes em sulcos com 5 a 8 cm de fundura, em círculos a 20 cm do caule no inicio do mês de outubro.

 

Usos: Frutifica nos meses de Dezembro a Janeiro. Os frutos podem ser consumidos in natura e são muito doces e saborosos apesar de ter pouca polpa. Os frutos podem ser despolpados e a polpa pode ser usada para fazer suco e fabricar geleias e sorvetes. A planta pode ser cultivada em projetos de revegetação permanente, pois é uma espécie que corre o perigo de extinção e seus frutos alimentam a fauna em geral.

 



Consulte-nos pelo e-mail hnjosue@ig.com.br ou veja nosso catalogo de mudas disponíveis clicando aqui. – acompanhe-nos no Facebook

  

Voltar para Frutas do mato ou Voltar para família das Celestraceae

 

.