EUGENIA MANSOI

FAMILIA DAS MYRTACEAE

 

Flores

Frutos maduros

 

NOME INDIGENA: GUAPITÍ-UNA – vem do tupi-guarani e significa “Fruta com pele fina e preta”. Também recebe os nomes de: Cereja do mato preta, Pitanga preta de sombra, Cambuí do rio Paranapanema.

 

OBSERVAÇÕES: Encontrei essa espécie na mata ciliar do rio Paranapanema em março de 2.009 junto com a Eugenia subterminalis; mais na época eu nem havia notado as diferenças. Só em 2.016 quando as mudas plantadas frutificaram é que foi possível identificar com precisão. – POR SER TÃO SEMELHANTE EU QUASE DEIXEI DE PLANTAR AS MUDAS NO POMAR, MAIS NA DUVIDA RESOLVI PLANTAR, E EM 2  ANOS FUI RECOMPENSADO COM A FRUTIFICAÇÃO DESSA RARIDADE SABOROSA “QUE SÓ PARECIA MAIS NÃO ERA”.

 

Origem: nativa da Floresta semidecidua, ocorre  com certa raridade em alguns afluentes (ribeirões) e nas margens do Rio Paranapanema. Aparece em estado natural em Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro, Brasil. Mais informações no link:

  http://www.floradobrasil.jbrj.gov.br/    

 

Características: Arvoreta de copa fechada, baixa e densa que cresce de 2 a 3 metros de altura, com trono  ramificado, cilíndrico, e fino, com de 5 a 10 cm de diâmetro, com coloração creme acinzentada e casca desprende-se em placas papiráceas (como papel). As folhas são simples, opostas, cartáceas (textura de cartolina), de cor verde escura em cima e de cor creme por baixo, medindo de 2,5 a 4,5 cm de comprimento por 1 a 2 cm de largura, apresentando forma ovada, com base cuneada (forma de cunha e ápice apiculado (com ponta curta). As flores são brancas, medem 8 mm de diâmetro quando abertas e nascem nas axilas das folhas em pedúnculos (haste de suporte) solitários medindo de 2 a 3 cm de comprimento. No ápice está o botão floral protegidos por bractéolas (tipo de folha modificada) de 2 a 4 mm de comprimento. O fruto é uma baga arredondada com casca fina que passa do vermelho para a cor preta quando totalmente madura, medindo de 1,5 a 3 cm de diâmetro, com polpa carnosa e solta da única semente que é branca e arredondada, medindo 4 a 6 mm de diâmetro.

 

Dicas para cultivo: Tem crescimento moderado e pode ser cultivada em todo o Brasil adaptando-se a climas temperados, subtropicais e tropicais onde a temperatura média é de 10 a 28 graus, resistindo a mínimas de até – 4 graus. Pode ser plantada desde o nível do mar até 1.000 m de altitude, apreciando índices de chuvas que variam de 770 a 2.500 mm anuais e bem distribuídos. Aprecia qualquer tipo de solo que seja profundo e tenha boa retenção de umidade. Ela vai bem sobre terrenos arenosos na beira de rios e em latossolo (terra vermelha) e o melhor pH para boa produção dos frutos deve estar entre 5,5 e 6,7. Pode ser cultivada tanto a pleno sol como em plena sombra. Começa a frutificar com 3 a 4 anos.

 

Mudas: As sementes são arredondadas, grandes e devem ser despolpadas e secas na sombra por 2 dias em seguida são plantadas diretamente em saquinhos (7 por 22 cm) á 2 cm de profundidade. O composto utilizado deve ser feito com 50% de matéria orgânica bem curtida, 20 % de areia e 30% de terra. A germinação ocorre em 30 a 40 dias e é quase total. As mudinhas podem ser formadas em local sombreado e atingirão 20 a 30 cm de altura com 7 a 8 meses de vida.

 

Plantando: Plantar no espaçamento de 4 x 4 m entre plantas, abrindo covas com dimensões de 50x50x50 cm. O preparo das covas se inicia reservando os 30 cm de terra da superfície para ser misturada com 6 pás de esterco bem curtido, 500 g de calcário, 600g de cinzas de madeira; e pós a mistura estar homogenia, volta-se a terra no buraco e deixa curtir por 2 meses. A melhor época do plantio é nos meses de setembro a outubro. Irrigar generosamente uma vez por semana nos primeiros 2 meses e depois somente quando faltar umidade.

 

Cultivando: Fazer apenas podas de formação da copa e eliminar os galhos que nascerem na base do tronco. Adubar com composto orgânico, pode ser 6 kg composto orgânico + 30 gr de N-P-K 10-10-10 dobrando essa quantia a cada ano até o 3ª ano, depois manter essa adubação. A irrigação na época de floração e frutificação aumenta consideravelmente a produtividade e qualidade dos frutos.

 

Usos: Frutifica nos meses de novembro a dezembro e também em abril. Os frutos são muito saborosos para consumo in natura, e tem um sabor que lembra o jambo e a pitanga. Também pode ser usado para fazer sucos, geléias e sorvetes. A floração é produtora de néctar e pólen e a arvore não deve faltar nos quintais e na arborização urbana, pois seus frutos atraem e alimentam muitas espécies de espécies de pássaros.

 


Consulte-nos pelo e-mail hnjosue@ig.com.br ou veja nosso catalogo de mudas disponíveis clicando aqui.  acompanhe-nos no Facebook

 

 

Voltar para Frutas do mato ou Voltar para Myrtaceae

 

.