EUGENIA PARACATUANA

FAMILIA DAS MYRTACEACEAE

 

PLANTA CARREGADA DE FRUTOS

FRUTOS MADUROS E VERDES

FOLHAS FRUTAS E SEMENTES

VAI UM SUCO DE GUAMIRIM?

 

 NOME INDIGENA: GUAMIRIM DE SOMBRA – vem do tupi-guarani e significa “Fruta pequena”. Também recebe os nomes de: Pitanguinha do Rio Guarei, ou Cambuí do Rio Guarei.

 

Origem: nativa da Floresta Semidecidual e da Floresta estacional e ocorrendo próximo aos rios no sub-bosque, naturalmente está distribuída desde o estado de Minas Gerais até o Rio Grande do Sul, Brasil. Mais informações no link http://www.floradobrasil.jbrj.gov.br/

 

OBSERVAÇÕES: Encontramos essa espécie nas expedições pelo rio Guarei no Município de Angatuba – SP em agosto de 2.016. A planta é muito produtiva e frutifica no final do inverno provendo alimento para os pássaros.

 

Características: Arbusto ou arvore de porte médio que cresce de 3 a 6 metros de altura, formando copa rala e aberta. O trono é cilíndrico, tortuoso, medindo de 6 a 15 cm de diâmetro, com casca de coloração pardo amarronzada sem desprendimento evidente. Os ramos jovens e as brotações auxiliam na identificação da espécie por terem tricomas (pelos em forma de T) esparsos. As folhas jovens são vermelhas, com pecíolo (haste ou suporte) de 3 a 6 mm de comprimento. A lamina foliar é elíptica (com mesma largura da base ao ápice) ou ovadas, glabra (sem pelo quando adulta) em ambas as faces, medindo de 3,5 a 6,5 cm de comprimento por 1,5 a 3,5 cm de largura; com base aguda ou cuneada (forma de cunha) e ápice acuminado (com ponta longa). As flores nascem nas axilas das folhas em racemos (tipo de cacho) com 4 a 12 flores de 1 cm de comprimento quando aberta com cálice com 4 lobos ou recortes subiguais. O fruto é uma baga arredondada com casca fina de cor roxo enegrecida, medindo de 0,8 a 1,2 cm de diâmetro com polpa doce mais no final um pouco amarga, contendo 1 ou 2 sementes pequenas.

 

Dicas para cultivo: Tem crescimento moderado e pode ser cultivada em todo o Brasil adaptando-se a climas temperados, subtropicais e tropicais, resistindo a mínimas de até – 3 graus e máximas de até 42 graus. Pode ser plantada a pleno sol ou na sombra, desde o nível do mar até 1.650 m de altitude, apreciando índices de chuvas que variam de 770 a 2.500 mm anuais e bem distribuídos. Aprecia qualquer tipo de solo que seja profundo e tenha boa retenção de umidade e o melhor pH para boa produção dos frutos deve estar entre 5,5 e 6,7. Pode ser cultivada em vasos de 40 cm de largura por 50 cm altura usando o mesmo substrato indicado para mudas abaixo. Começa a frutificar com 2 a 4 anos.

 

Mudas: As sementes são arredondadas de cor castanho amarelado e devem ser despolpadas e secas na sombra por 2 dias em seguida são plantadas em sementeiras (40 por 20, por 15 cm de altura) ou saquinhos (7 por 22 cm) á 1 cm de profundidade. O composto utilizado deve ser feito com 50% de matéria orgânica bem curtida, 20 % de areia e 30% de terra. A germinação ocorre em 30 a 40 dias e é quase total. As mudinhas podem ser transplantadas para saquinhos individuais quando tiverem 10 cm de altura e o substrato deve estar úmido, e após serem replantadas as mudas devem ficar em plena sombra e ser irrigadas diariamente por mais ou menos 1 mês. Depois as mudas já podem ficar sob sol pleno quando em mais ou menos + 7 meses atingirão 30 de altura.

 

Plantando: Plantar no espaçamento de 4 ou 5 m entre plantas, abrindo covas com dimensões de 50x50x50 cm. O preparo das covas se inicia reservando os 30 cm de terra da superfície para ser misturada com 6 pás de esterco bem curtido, 500 g de calcário, 600g de cinzas. Após a mistura estar homogenia, volta-se a terra no buraco e deixa curtir por 2 meses. A melhor época do plantio é nos meses de setembro a outubro. Irrigar generosamente uma vez por semana nos primeiros 2 meses e depois somente quando faltar umidade.

 

Cultivando: Fazer apenas podas de formação da copa e eliminar os galhos que nascerem na base do tronco. Adubar com composto orgânico, pode ser 6 kg composto orgânico + 40 gr de N-P-K 10-10-10 dobrando essa quantia a cada ano até o 3ª ano, depois manter essa adubação. A irrigação na época de floração e frutificação aumenta consideravelmente a produtividade e qualidade dos frutos.

 

Usos: Frutifica nos meses de julho a inicio de setembro. Os frutos são consumidos in natura, ou na forma de sucos, geleias e sorvetes. A floração é produtora de néctar e pólen e a arvore não deve faltar em projetos paisagísticos e na arborização urbana, pois seus frutos atraem e alimentam muitas espécies de pássaros na época em que há falta de comida ou frutos.

 

Consulte-nos pelo e-mail hnjosue@ig.com.br ou veja nosso catalogo de mudas disponíveis clicando aqui.  acompanhe-nos no Facebook

 

 

Voltar para Frutas do Mato ou Família das Myrtaceas

 

 

.