FARAMEA PICINGUABAE

FAMÍLIA DAS RUBIACEAE

 

 

FOLHAS

FRUTOS MADUROS

 

 

PLANTA

FRUTOS E SEMENTES

 

NOME INDIGENA: PICINGUABA vem do Tupi Guarani, porém ainda não foi decifrado seu significado etimológico. Também chamado de Araçazinho azul e fruta de nhambu.

 

Origem: Endêmica do estado de São Paulo, Brasil e encontradiça no sub-bosque da mata atlântica e da Floresta semidecidua. Mais informações no link: http://floradobrasil.jbrj.gov.br

 

Características: Arbusto a arvoreta com 40 cm a 3 m de altura, formando pequenas moitas touceiras no solo da floresta, com múltiplos ramos elípticos, ascendentes desde a base. Os ramos são lisos e ligeiramente estriados (com rugas) e a planta pode ser facilmente identificada pelas folhas brilhantes de cor verde azulado conforme mostra a foto da planta. As folhas são simples, opostas, papiráceas (consistência de papel) com estipula (tipo de folha modificada entre os pecíolos que são nigrescentes) com ápice arredondado. A lamina foliar é lanceolada (forma de lança) mede 5 a 15 cm de comprimento por 1,5 a 5 cm de largura, com base obtusa e ápice acuminado (com ponta longa). As flores nascem em racemos (tipo de caco) bíparos (organizados a base de 2) nas axilas das folhas contendo 6 a 18 flores com cálice esverdeado e corola esbranquiçada, medindo 3 a 6 mm de comprimento.

 

Dicas para cultivo: Arbusto de crescimento lento que aprecia solos vermelhos ou arenosos, ricos em matéria orgânica e com rápida drenagem da água das chuvas; apreciando terra virgem com pH entre 5,0 a 6,5. É melhor cultivar na sombra total, apreciando qualquer altitude. A planta resiste a geadas de até - 2 graus e pode ser cultivada em vasos grandes com 30 cm de boca e 40 cm de altura. Começa a frutificar com 2 anos após o plantio.

 

Mudas: As sementes são pirenios triangulares e nigrescentes de 2 a 3 mm de altura. As sementes conservam o poder germinativo por mais de 1 ano se foram armazenadas secas e limpas em embalagens escuras bem tampadas. Convém semear em jardineiras (com 40 cm de comprimento, por 20 cm de largura e 20 cm de altura) contendo substrato rico em matéria orgânica. A germinação é lenta iniciando com 60 dias até os 150 dias. As plântulas devem ser transplantadas para saquinhos individuais quando estiverem em 10 cm de altura. As mudas devem ser formadas na sombra e atingem 20 cm de altura com 8 a 10 meses após a germinação.

 

Plantando: Recomendo que seja plantada sempre em local sombreado, num espaçamento 2 x 2 m. Abrir covas com 40 cm de altura, largura e profundidade e misturar aos 30 cm de solo iniciais 5 pás de esterco e 500 g de cinzas de madeira, deixando curtir por 2 meses. A melhor época de plantio é novembro a janeiro, convém irrigar 10 l de água após o plantio e a cada 15 dias se não chover.

 

Cultivando: A planta cresce lentamente e não necessita de cuidados especiais, apenas deve-se cobrir a superfície do solo ou vaso com palha de arroz ou cascas moídas. Sempre eliminar qualquer erva daninha para que a planta não seja sufocada. Adubar com composto orgânico feito de folhas apodrecidas + 1 kg de esterco de galinha curtido. Distribuir os nutrientes em sulcos distanciados à 5 cm do caule.

 

Usos: Frutifica em março a abril. Os frutos são de magnífica beleza por serem azulados, tem bom sabor e podem ser consumidos in natura ou utilizados para fazer um suco que fica de cor azulada. A planta pode ser cultivada com sucesso em vasos ou em jardins de sombra em geral. Os frutos também são atrativos para pássaros  

 

Voltar para Frutas do Mato ou Voltar para família das Rubiaceae