FICUS ADHATODIFOLIA

FAMILIA DAS MORACEAE

 

FRUTOS VERDES

FRUTOS MADUROS

 

 

NOME INDIGENA: CAXINGUBA vem do tupi guarani e significa “Arvore que dá xarope ou seiva medicinal contra verme”. Também recebe o nome de Figueira vermífuga, Figueira branca e Figo do brejo.

 

Origem: Esta espécie tem vasta distribuição na America do Sul, ocorrendo desde a Venezuela até a Bolívia. No Brasil aparece em diversas formações florestais de norte a sul do país. Mais informações no link:

http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2012/index?mode=sv&group=Root_.Angiospermas_&family=Root_.Angiospermas_.Moraceae_GAUDICH&genus=Ficus&species=&author=&common=&occurs=1&region=&state=&phyto=&endemic=&origin=&vegetation=&last_level=subspecies&listopt=1 

 

Características: arvore perenifólia (com folhas persistentes), lactescente (exsuda seiva branca) que na floresta atinge os 25 m de altura, porém quando cultivada não ultrapassa os 6 a 8 m de altura. Sua copa é globosa e densa com galhos e ramos raiados e bem distribuídos. O tronco tem casca cinza e esbranquiçada, e quando jovem é caracterizado por lenticelas (glândulas de trocas gozosas) horizontais. As folhas são simples, opostas ou subpostas, coriaceas (de consistência rija), glabras (sem pelos) oblonga (mais longa que larga) ou ovada, medindo 7 a 30 cm de comprimento por 3 a 13 cm de largura, presos no ramo por pecíolos (haste ou suporte) de 1,5 a 5,5 cm de comprimento, glabros, amarelados e estreitamente sulcados na face adaxial (superior). A base laminar é arredondada ou obtusa e o ápice é agudo ou curto acuminado (com ponta que se afina rapidamente), a margem é inteira e a nervação é bronquidódroma (com ramificações ou veias paralelas e salientes) com 5 pares basais e 10 a 20 pares formando ângulos de 60 a 90 graus. Os frutos chamados sicônios (receptáculo carnoso e oco, globoso, com uma abertura apical e flores nas paredes internas, que formam fruticulos ou sementes), surgem solitários em cada nó, sob pedúnculos (haste ou suporte) de 0,5 a 20 cm de comprimento. Estes medem 2 a 2,7 cm de diâmetro quando maduros.

 

Dicas para cultivo: Tem crescimento rápido e pode ser cultivada em todo o Brasil adaptando-se a climas temperados, subtropicais e tropicais onde a temperatura média é de 13 a 26 graus, resistindo a mínimas de até – 5 graus. pode ser plantada desde os 5 m acima do nível do mar até 1.650 m de altitude, apreciando índices de chuvas que variam de 770 a 2.500 mm anuais e bem distribuídos. Aprecia qualquer tipo de solo que seja profundo e tenha boa retenção de umidade. Ela vai bem sobre terrenos arenosos na beira de rios e em latossolo (terra vermelha) e o melhor pH para boa produção dos frutos deve estar entre 5,5 e 6,7. Começa a frutificar com 4 a 5 anos.

 

Mudas: As sementes são pequeninas e os frutos apodrecidos devem ser espalhados na superfície de jardineira (40 por 20, por 15 cm de altura) e coberta com fina camada de matéria orgânica peneirada. A germinação ocorre em 30 a 40 dias e é quase total e as plântulas são transplantadas para saquinhos individuais quando tiverem 10 cm de altura e o substrato deve estar úmido, e após replantadas as mudas devem ficar em plena sombra e ser irrigadas diariamente por mais ou menos 1 mês. Depois as mudas já podem ficar sob sol pleno quando em mais ou menos + 6 meses atingirão 30 a 40 cm de altura. O composto utilizado para os sacos individuais, deve ser feito com 50% de matéria orgânica bem curtida, 20 % de areia e 30% de terra. Essa espécie multiplica-se facilmente por meio de galhos lenhosos com mais de 4 cm de diâmetro quando fincados no chão.

 

Plantando: Plantar no espaçamento de 7 x 7 m entre plantas, abrindo covas com dimensões de 50x50x50 cm. O preparo se inicia reservando os 30 cm de terra da superfície para ser misturada com 6 pás de esterco bem curtido, 500 g de calcário, 600 g de cinzas. Após a mistura estar homogenia, volta-se a terra no buraco e deixa curtir por 2 meses. A melhor época do plantio é nos meses de setembro a outubro. Irrigar generosamente uma vez por semana nos primeiros 2 meses e depois somente quando faltar umidade. Também pode ser cultivada com sucesso em solos brejosos ou pedregosos.

 

Cultivando: Fazer apenas podas de formação da copa e eliminar os galhos que nascerem na base do tronco. Adubar com composto orgânico, pode ser 6 kg composto orgânico + 50 gr de N-P-K 10-10-10 dobrando essa quantia a cada ano até o 3ª ano, depois manter essa adubação. A irrigação na época de floração e frutificação aumenta consideravelmente a produtividade e qualidade dos frutos.

 

Usos: Frutifica nos meses de outubro a fevereiro. Os frutos são consumidos in-natura e são muito saborosos. Os frutos por amadurecer quando colhidos da arvore podem ser utilizados para fazer um doce de figo em compota utilizando as mesmas receitas tradicionais. O látex é medicinal usado para debelar vermes e lombrigas de homem ou animal. A arvore não deve faltar em projetos de reflorestamento pois seus frutos alimentam diversos animais e pássaros.

 

Voltar para Frutas do mato ou Voltar para família das Moraceae

 

.