GUAPIRA HIRSUTA

FAMILIA DAS NYCTAGINACEAE

 

Folhas e flores

Tronco

Frutos amadurecendo

Frutos e sementes

 

 

NOMENCLATURA E SIGNIFICADO: GUAPIRA vem do Tupi Guarani e significa ”Fruta de peixe”, pois a arvore comumente cresce na beira de rios e riachos alimentando os peixes que adoram seus frutos. Também recebe os nomes: Maria mole, João mole, carne de vaca, Flor de perola e Fruta de peixe.

 

Origem: Originaria da mata atlântica, ocorrendo na beira de riachos e rios e próximo as nascentes dos biomas da floresta semidecidual com distribuição bem irregular; aparecendo nos estados da Bahia, Espirito Santo, Minas Gerais, São Paulo, Paraná e Santa Catarina, Brasil. Mais informações no link: http://reflora.jbrj.gov.br/jabot/listaBrasil/ConsultaPublicaUC/BemVindoConsultaPublicaConsultar.do

 

OBSETVAÇÕES: A espécie aqui apresentada estava sendo confundida com Guapira opposita que também ocorre na floresta semidecidual só que com menor regularidade, sendo mais frequente na floresta ombrófila densa. Guapira hirsuta defere-se da Guapira opposita por ter folhas maiores com nervuras pilosas de coloração ferrugínea, enquanto que as folhas de Guapira opposita tem folhas menores e totalmente glabras (sem pelos).

 

Características: arvore perenifólia de 3 a 7  metros quando cultivada ou até 20 m quando na mata, com copa arredondada em pleno sol ou alongada na floresta, com troco tortuoso e bifurcado (com 2 ou mais troncos), com forma cilíndrica atingindo 20 a 60 cm de diâmetro; com casca fina de cor esverdeada com manchas acinzentadas e quase lisa ao tato. Essa espécie pode ser facilmente identificada por se observar as brotações rufo tomentosas (com pelinhos marrons) e pecíolos (haste ou suporte) de cor rosada. As folhas são inteiras, simples, opostas, brilhantes e glabras (sem pelos) na face superior e pubescentes (com pelinhos) na face dorsal, medindo 6 a 14 cm de comprimento por 2,5 a 5 cm de largura. A lamina textura subcoriácea (como couro) e carnosa, com base cuneada (com forma de cunha) e o ápice apiculado com ponta curta, sob pecíolo de 07 mm a 3 cm de comprimento. As inflorescências são do tipo pinicula (Cacho piramidal) corimbosas (arredondadas) com pedúnculos (haste ou suporte) carnoso de cor avermelhada, suportando e 16 a 72 flores biparas ou trimeras (em grupo de 2 ou 3) muito pequenas e de cor esverdeada. O Fruto é uma drupa (com 1 semente ou pirênio) de cor rubra (vermelho arroxeado),  oblonga (mais longa que larga, medindo 1 a 1,5 cm de comprimento por 7 a 13 mm de largura envolvendo uma semente cilíndrica.   

 

Dicas para cultivo: Planta de crescimento moderado na juventude (ocasião em que forma um xilopódio ou raiz de armazenamento) que pode ser cultivada tanto em solos argilosos e muito úmidos ou em solos de terra vermelha ou arenosos que são bem drenados com pH entre 4,8 a 6,6. A planta cresce bem desde o nível do mar até 900 m de altitude, resistindo a geadas leves de até -3 grau e a secas de 3 a 5 meses sem chuvas. A planta frutifica abundantemente em pleno sol, mais não deve faltar água na época da florada e granagem dos frutos. Começa a frutificar com 3 a 4 anos a depender do clima e tratos culturais. Também pode ser cultivada na sombra onde frutifica bastante.

 

Mudas: As sementes são estreitas e cilíndricas (como palito de dente) medindo de 7 a 10 mm de comprimento, são recalcitrantes (perdem o poder germinativo se forem secadas) e germinam em 40 a 60 dias se plantadas em substrato de 50% de terra vermelha, 30% de matéria orgânica e 20% de areia. Podem ser plantadas em jardineiras e quando atingirem 10 cm podem ser transplantadas para embalagens individuais com 100% de pegamento das plântulas. As mudas devem ser formadas na sombra e atingem 30 a 40 cm com 10 a 12 meses de vida.

 

Plantando: Recomendo que seja plantada a pleno sol num espaçamento 5 x 5 no pomar coleção ou 4 x 4 m quando em reflorestamento ou na sombra de outras arvores. As covas devem ser abertas com no mínimo 2 meses antes do plantio, estas devem ter 50 cm nas 3 dimensões e convém misturar aos 30 cm da terra inicial cerca de 6 a 7 pás de matéria orgânica + 500 g de calcário e 1 kg de cinzas de madeira. A melhor época de plantio é outubro a novembro, convém irrigar 10 l de água após o plantio e a cada 15 dias se não chover.

 

Cultivando: A planta cresce rápido a partir do segundo ou terceiro ano, não necessita de cuidados especiais, apenas deve-se cobrir a superfície com capim cortado e eliminar qualquer erva daninha que possa sufocar a planta. Deve-se fazer podas no fim do inverno para fazer a formação da planta eliminando ramos e brotos da base e todo o excesso de ramos que nascerem voltados para o interior da copa. Adubar com 2 a 3 pás de composto orgânico feito de esterco de galinha curtido e 30 gramas de NPK 10-10-10. Distribuir os nutrientes à 5 cm superficialmente a 20 cm do caule no inicio do mês de outubro.

 

Usos: Frutifica nos meses de novembro a dezembro. Os frutos são podem ser consumidos in-natura ou despolpados esfregando-os sobre uma peneira; e ao polpa assim separada pode ser utilizada para fazer sucos, geleias e sorvetes deliciosos. Recomendo que a arvore seja plantada próximo a rios e lagos para alimentar peixes e atrair pássaros. As flores são melíferas e indico o plantio da mesma pelos criadores de abelhas indígenas.

 

Consulte-nos pelo e-mail hnjosue@ig.com.br ou veja nosso catalogo de mudas disponíveis clicando aqui. acompanhe-nos no Facebook

   

Voltar para Frutas do Mato ou Voltar para Nicytaginaceae

 

 

cialis prijs cialis kopen viagra voor vrouwen kamagra kopen viagra prijs

cialis prijs cialis kopen viagra voor vrouwen kamagra kopen viagra prijs