JACARATIA DODECAPHYLLA

FAMÍLIA DAS CARICACEAS

 

AGRADECEMOS SUA VISITA E DESEJAMOS QUE AS INFORMAÇÕES LHE SEJAM ÚTEIS PARA AJUDAR A PRESEVAR NOSSA FLORA E MELHORAR A QUALIDADE DE VIDA. MAS GOSTARIA DE LEMBRAR QUE MUITO TRABALHO, PESQUISAS E CUSTOS ESTÃO ENVOLVIDOS PARA PODER DISPONIBILIZAR INFORMAÇÕES GRATUITAMENTE. DESSA FORMA APRECIAREMOS SUA COLABORAÇÃO EM ADQUIRIR OS GUIAS FRUTAS DO MATO PARA AJUDAR A MANTER O PROJETO, OU TAMBÉM ACEITAMOS DOAÇÕES QUE PODERÁ NOS ESCREVER SOBRE NO E-MAIL QUE ESTÁ NO FINAL DESSA PAGINA.  

 

 

Frutos Cortados

Frutos Maduros

TRONCO

FOLHA

 

NOMENCLATURA E SIGNIFICADO: JARACATIÁ-MAMÃO, vem do Tupi e significa “Fruta da arvore do talo ou tronco mole”. Também é chamado de Mamão do mato, Jaracatiá Branco (por causa da polpa).

 

ORIGEM: Florestas semideciduais de maior altitude, ocorrendo com muita raridade no estado de Minas Gerais, São Paulo e Paraná, Brasil. Mais informações no link: http://www.floradobrasil.jbrj.gov.br/reflora/listaBrasil/FichaPublicaTaxonUC/FichaPublicaTaxonUC.do?id=FB81557 –Incorreto.

 

OBSERVAÇÕES: Os botânicos não classificam Jacaratia dodecaphylla como espécie destinta de Jacaratia spinosa, estando atualmente classificada como sinonímia botânica. Mais em minha opinião as características morfológicas tanto do tronco, das folhas, dos frutos e das sementes são uma base convincente para delimitar e separar a espécie. Portanto minha conclusão é que faltam estudos taxonômicos para fazer uma revisão das espécies do gênero Jacaratia no Brasil.  

 

CARACTERISTICAS: Árvore mediana, atingindo 12 na floresta, mais quando cultivada não ultrapassa os 5 m de altura, tem copa mais aberta que a espécie afim. O tronco reto e notoriamente esguio desde a base, atinge diâmetro de 30 cm a 50 cm e a casca é escura e quando jovem é arroxeada com acúleos ou espinhos pontiagudos organizados em grupos de 3. A folha nasce em pecíolos longos de 7 a 12 cm, tem forma digitada (laminas foliares semelhantes a dedos), contendo 9 a 12 folíolos glabros (sem pelos) com 1 a 2,3 cm de largura por 5 a 8 cm de comprimento, com margem lisa e textura cartácea (de cartolina), de base e ápice arredondados. Flores dióicas: a inflorescência masculina nasce em panículas axilares (tipo de cacho composto, parecendo flor de mamão macho) que mede de 8 a 15 cm de comprimento e as flores femininas nascem solitárias ou aos pares nas axilas das folhas, estas são pedunculadas (com haste ou suporte) de 1,3 a 2,5 mm de comprimento, cíclicas (com elementos fixados num ponto e distribuídos em varias alturas) e diclamídeas (com 2 envoltórios). O fruto é uma baga ovada (com forma de ovo) com 6 a 8 cm de comprimento por 4,5 cm a 5,5 cm de diâmetro, com casca fina de cor alaranjada quando bem madura, com pericarpo (parede que envolve a semente) cremoso, esbranquiçado e com suco leitoso, envolvendo muitas sementes castanho claras e pequenas.

 

Dicas para cultivo: É de crescimento rápido, atingindo 2 metros de altura no primeiro ano de plantio no campo, e no primeiro ano as brotações podem ser queimadas com geadas inferiores a -1 grau, mais a planta não morre, rebrotando vigorosamente na primavera. A planta aprecia terrenos profundos de consistência arenosa e ricos em matéria orgânica, com pH entre 5,0 a 6,5. A planta cresce em altitudes variando de 600 a 1.000 m acima do nível do mar, onde a precipitações de chuvas anuais fica entre 600 a 1.200 mm anuais. Começa a frutificar a partir do 3 ou 4 ano de plantio em terrenos férteis. Recomendo plantar pelo menos 3 arvores para que ocorra polinização cruzada e uma boa produção dos frutos que varia entre 100 a 800 frutos por planta. Essa espécie é muito resistente a geadas quando adulta.

 

Mudas: As sementes são pequenas e conservam o poder germinativo por mais de 1 ano se estiverem secas, limpas e forem armazenadas em frascos escuros. Recomendo que sejam semeadas em jardineiras (16 cm largura, 20 cm de altura e 40 cm de comprimento) contendo substrato rico em matéria orgânica. A germinação se dá em 30 a 40 dias e as plântulas são transplantadas para embalagens individuais quando estiverem com 10 a 15 cm. As mudas crescem rápido atingindo 40 cm com 5 a 6 meses após o plantio. A multiplicação por estacas lenhosas com diâmetro superior a 3,5 cm pode ser feita em estufas com alta temperatura e umidade.

 

Plantando: Cultivar em pleno sol abrindo covas de 50 cm de altura, largura e profundidade num espaçamento de 5 x 5 m ou 6 x 6 m entre plantas. Misturar com os 30 cm de terra iniciais do solo 5 a 6 pás de esterco bem curtido, + 500 gramas de calcário e 1 kg de cinza de madeira, deixando curtir por 2 meses. A melhor época do plantio é de outubro a novembro e após o plantio irrigar a planta com 10 l de água a cada 15 dias se não chover, fazendo isso no primeiro ano.

 

Cultivando: A planta não requer podas, apenas se deve observar se os galhos não estão cruzados ou doentes sendo necessário podar apenas esses. A adubação com composto orgânico é suficiente, pode ser 4 pás de cama de frango bem curtida + 30 gramas de N-P-K 10-10-10, dobrando essa quantia até o terceiro ano após o plantio, distribuindo-os em círculos a 40 cm de distancia do tronco.

 

Usos: Os frutos amadurecem de Fevereiro a Abril. Os frutos tem polpa amarelo esbranquiçada, lembrado o sabor do mamão e da manga, DELICIOSOS PARA O CONSUMO IN NATURA, pois, não queima a língua e os lábios como acontece com o Jaracatiá comum. Por isso colha os frutos totalmente alaranjados e deixe-os chegar por 3 a 4 dias, ou para consumo imediato aproveite os frutos já caídos no chão. Outra forma deliciosa de comer os frutos é assar na brasa como os índios faziam. Também podem ser usados para fabricar sucos e doces. O tronco é usado para fazer um doce semelhante a cocada, e por isso a arvore está ficando mais rara pois as pessoas sacrificam a arvore para fazer o doce e nunca plantam nada.

 

Consulte-nos pelo e-mail hnjosue@ig.com.br ou veja nosso catalogo de mudas disponíveis clicando aqui.  acompanhe-nos no Facebook

 

 

 

Voltar para Frutas do mato ou Voltar para família das Caricaceae

 

.