MARLIERA TOMENTOSA

FAMÍLIA DAS MYRTACEAS

 

FLORES

FRUTOS MADUROS

 

NOMENCLATURA E SIGNIFICADO: GUAPORANGA – vem do tupi-guarani e significa “Fruta ou arvore bonita”. Também chamada de Jabuticaba de cacho, Vapurunga e Uvá-de-Facho.

 

Origem: Ocorre na mata atlântica do litoral do Brasil, prefere a beira de rios e solos de terra preta na enconta de alguns morros, ocorrendo desde o Sul da Bahia até Santa Catarina, Brasil. Mais informações no link:

http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2012/index?mode=sv&group=Root_.Angiospermas_&family=Root_.Angiospermas_.Myrtaceae_&genus=Marlierea&species=&author=&common=&occurs=1&region=&state=&phyto=&endemic=&origin=&vegetation=&last_level=subspecies&listopt=1

 

Características: Arvoreta de 3 a 10 m de altura, copa piramidal de 1,5 a 4 m de diâmetro, ramos jovens pubescentes (coberto de pelos) e brotações e inflorescências tomentosas (coberta de lanigem branca). O trono tem casca de coloração castanho amarelada, que descama em placas desuniformes em divergentes ocasiões do ano. As folhas são opostas, cartáceas (textura de cartolina), verdes escuras na superfície superior e amarelo esverdeado no dorso, sob pecíolo (haste ou suporte) espesso de 7 a 1,8 mm de comprimento. A lamina foliar é oblonga (mais longa que larga), obovada (forma de ovo invertido com a parte mais larga voltada para o ápice), medindo 18 a 36 cm de comprimento por 6,5 a 12 cm de largura, com base cuneada (forma de cunha) e ápice agudo ou acuminado (com ponta longa). As flores nascem em inflorescências terminais nos brotos formados no final do inverno, medindo 10 a 30 cm de comprimento com 1 a 3 centenas de flores protegidas por 2 brácteas (tipo de folha modificada) na base do cálice (invólucro esterno da flor). As flores medem de 1,2 a 1,6 cm quando abertas e tem pétalas arredondadas brancas e anteras (glândulas que carregam os grãos de pólen) esbranquiçadas. Os frutos medem 1,6 a 2,5 cm de diâmetro contendo 1 a 3 sementes gordas reniformes.

 

Dicas para cultivo: Planta rara, mais de fácil cultivo. Pode ser cultivada na maior parte do Brasil, pois, resiste a baixas temperaturas - 3 graus (queimando apenas as brotações jovens nessas condições). Pode ser cultivada desde o nivel do mar até os 1.500 m de altitude. Aprecia diversos tipos de solos, desde arenosos, turfosos e até arenosos, mais estes devem ser profundos, úmidos, neutro (com pH ente 5,2 a 6,5). É preciso plantas no mínimo 2 plantas para uma melhor produção. Começa a frutificar com 3 a 4 anos após o plantio.

 

Mudas: As sementes são recalcitrantes (perdem o poder germinativo em 20 dias se forem secas), um pouco maior que um feijão e germinam em 40 a 60 dias, se plantadas em substrato feito de 40% de terra, 20% de areia e 40% de matéria orgânica. As sementes devem ser semeadas individualmente em embalagens individuais e devem ser deixadas em local com sombreamento de 50%. As mudas atingem 30 cm com 9 a 10 meses após a germinação. A melhor época de plantio no campo é nos meses de outubro a dezembro.

 

Plantando: Pode ser plantada a pleno sol como em bosques com arvores grandes bem espaçadas. Espaçamento 5 x 5 m entre plantas. É bom fazer covas de 50 cm nas três dimensões e prepará-las com 2 meses de antecedência misturando aos 30 cm da terra inicial da cova, 30% de terra argilosa peneirada, 1 kg de calcário, 1 kg de cinzas e cerca de 6 pás de matéria orgânica. A melhor época de plantio é de setembro a novembro. Após o plantio irrigar a cada quinze dias nos primeiros 3 meses, depois somente se faltar água na época da florada.

 

Cultivando: Fazer apenas podas de formação da copa e eliminar os galhos que nascerem na base do tronco, ou aqueles que cruzarem o interior da copa. Adubar com composto orgânico, pode ser 5 pás + 40 gr de N-P-K 10-10-10 dobrando essa quantia a cada ano até o 3ª ano, depois manter essa adubação. Distribuir os nutrientes na projeção da copa com 20 cm de distancia do tronco. 

 

Usos: Frutifica nos meses de setembro a dezembro. Os frutos são consumidos in-natura e tem sabor até mais agradável do que a jabuticaba. A polpa solta-se facilmente do caroço e é impossível saborear uma fruta só. As flores são apícolas e a arvore é ornamental podendo ser cultivada com sucesso na arborização urbana. O Viveiro de mudas Saputá é o primeiro a disponibilizar mudas da Rara e Verdadeira Guaporanga no Brasil.

 

Voltar para Frutas do mato ou Voltar para myrtaceae

 

.