PORCELIA MACROCARPA

FAMÍLIA DAS ANNONACEAS

 

Compre o Guia: Frutas do mato: um guia de identificação, cultivo e usos:

Fascículo 1: 34 espécies de anonáceas brasileiras.

 

 

FLORES

FRUTOS AMADURESCENDO E SEMENTES

 

NOMENCLATURA E SIGNIFICADO: PIXIRICUM vem do tupi guarani e significa “Fruta com forma de dedos que se abre”. Também recebe o nome de Banana de Arvore, Banana de Macaco, Louro branco e Uvária.

 

ORIGEM: Espécie rara da floresta atlântica que ocorre isoladamente e de forma seletiva nas formações secundaria com maior altitude nas florestas semideciduas, na encosta atlântica, nas encostas ingrimes e na mata ciliar de vertentes ou nas margens pequenos córregos. Pode ser encontrado ainda nos cerrados do sudeste no estado de Goiás, Bahia, Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Brasil. Mais informações no link: http://www.floradobrasil.jbrj.gov.br/

 

CARACTERISTICAS: é uma arvore caducifólia (que perde todas as folhas onde o inverno é vigoroso), de 8 a 17 m de altura com copa cônica de aspecto ornamental e galhos horizontais com ramagem lisa, verde, manchada e pendente. O tronco é reto, com 40 a 80 cm de diâmetro, com casca fibrosa, fina, lisa e esbranquiçada, passando para o cinza claro a medida que envelhece, tornando-se estriada, com sucos longitudinais rasos, ondulados e esbranquiçados. As folhas são simples, oblongas (mais longas que largas) lanceoladas (com forma de lança), com margem ondulada. O pecíolo (haste ou suporte é subséssil (muito curto) de 4 a 7 mm de comprimento, suportando uma lamina papilácea (textura de papel), medindo 6 a 12 cm de comprimento por 2 a 3 cm de largura, com base arredondada e ápice atenuado (com ponta que se afina gradativamente). A folha tem cheiro característico de remédio. As flores são solitárias, terminais, grandes, de coloração creme e vistosas. Essas são formadas de cálice (invólucro externo) com 3 sépalas verdes, triangulares de 5 mm de comprimento e corola (invólucro interno) com 6 pétalas livres, crassas (grossas), imbricadas (com uma pétala totalmente externa e outra totalmente interna), convexas (com as extremidades voltadas para o centro), medindo 2 a 3 cm de comprimento por 1,2 a 1,6 cm de largura. O fruto é uma baga alongada de 5 a 8 cm de comprimento por 3 a 4,5 cm de largura, pesando em media 15 a 31 gramas, com casca amarelada de 5 mm de espessura, demarcada por uma fissura ou friso longitudinal que fica na parte de baixo do fruto. O cacho é composto de 8 a 24 bagas com receptáculo ou cabinho carnoso de 1 a 2,5 cm de comprimento, o cacho pode medir 29 cm de altura e 20 de largura, com peso médio de 800 a 1,600 kg. No interior do fruto se encontra uma polpa suculenta, translúcida que envolvem 5 a 9 sementes amarronzadas, de 3 cm de comprimento por 8 a 1,1 cm de largura.

 

DICAS DE CULTIVO: Arvore de moderado crescimento que pode ser cultivada em todo o Brasil, tanto em climas tropicais ou subtropicais, resistindo a baixas temperaturas (até -4 graus) e a secas de até 4 ou 5 meses sem chuva. Vegeta bem em altitudes que vão de 500 m a 1.000 m acima do nível do mar, onde o clima é quente, úmido e chuvoso no verão com temperatura média de 12 a 35 graus. O solo deve ser profundo, úmido, com pH neutro (5,5 a 6,8), com constituição arenosa ou argilosa (solo vermelho). É preciso plantas no mínimo 2 plantas para se ter polinização cruzada e maior produção de frutos. A planta começa a florescer com 5 a 6 anos após o plantio, mais só consegue segurar fruto a partir do 9 ano. 

 

MUDAS: As sementes são quase planas, oblongas (mais longas que largas de 1,3 cm de comprimento), tem tegumento ou casca castanho escura, muito dura e são dormentes, necessitando de escarificação (raspar a semente numa lixa) para germinar. Cerca de 20% das sementes germinam em 80 a 120 dias e o restante em 1 ano depois. Convém semear 2 sementes diretamente em embalagens individuais de 20 cm de altura e 8 cm de diâmetro contendo substrato feito de 40% de terra vermelha, 40% de matéria orgânica bem curtida e 20% de areia de rio. As mudas crescem lentamente, atingindo 30 cm com 8 a 10 meses após a germinação. Apreciam ambiente sombreado para formação por no mínimo 2 anos antes do plantio.

 

PLANTANDO: Pode ser plantada em pleno sol, como em bosques com arvores grandes bem espaçadas. Espaçamento 6 x 6 m entre plantas. Faça covas quadradas com 50 cm nas três dimensões e adicione aos 30 cm de terra iniciais retirados da cova, cerca de 500 g de calcário, 1 k g de cinzas e 8 pás de matéria orgânica bem curtida; misturar tudo muito bem encher o buraco e deixar curtir por 2 meses. A melhor época de plantar é nos meses de outubro a dezembro. Após o plantio irrigar a cada quinze dias nos primeiros 3 meses se faltar água. Mantenha a superfície do solo coberta com bastante palha ou capim seco para manter a umidade.

 

CULTIVANDO: Fazer apenas podas de formação da copa e eliminar os galhos que nascerem na base do tronco ou estiverem cruzando a copa interior que precisa estar bem arejada para frutificar. Adubar com composto orgânico, pode ser 4 pás de cama de frango bem curtida + 40 gr de N-P-K 10-10-10 dobrando essa quantia a cada ano até o 3ª ano. A planta tem óleos essenciais nas folhas que tornam a planta resistente a pragas e doenças.

 

USOS: Frutifica a cada 2 anos nos meses de Agosto a novembro. Os frutos têm sabor que adocicado e agradável para consumo in natura, porém tem pouca polpa comestível. A arvore é linda para ser cultivada como ornamental. Por ser planta rara na natureza, não deve faltar em projetos de revegetação permanente com o objetivo de preservá-la e fornecer alimento para fauna em geral.

 

Consulte-nos pelo e-mail hnjosue@ig.com.br ou veja nosso catalogo de mudas disponíveis clicando aqui. – acompanhe-nos no Facebook

 

Voltar para Frutas do Mato  ou Voltar para família das Annonaceae

 

.