Porcelia aff. macrocarpa (descoberta Helton)

FAMÍLIA DAS ANNONACEAS

 

Compre o Guia: Frutas do mato: um guia de identificação, cultivo e usos:

Fascículo 1: 34 espécies de anonáceas brasileiras.

 

 

FLORES

FRUTOS AMADURESCENDO

tronco

Folhas

 

NOMENCLATURA E SIGNIFICADO: Pixiricum oval, ‘do tupi’ – Veja a etimologia em Porcelia macrocarpa. Também recebe os nomes: Araticum ovo e Imbiraba açú.

 

ORIGEM: espécie encontrada nas minhas expedições nas nascentes de ribeirões da Floresta semidecidual no município de Angatuba – SP. No local de origem foram localizados apenas 6 árvores do tipo descoberto. Em mais de 10 anos de expedições nunca encontrei exemplares em outro local. Mais informações no link: http://www.floradobrasil.jbrj.gov.br/

 

CARACTERISTICAS: descreverei as características que diferencia a espécie encontrada da espécie tipo Porcelia macrocarpa: árvore maior com 7 a 15 m de altura, de tronco com fissuras (sulcos em fôrma de V) e coloração castanho oliváceo – veja foto ao lado. Folhas lanceoladas (forma de lança) medindo 5 a 10 cm de comprimento por 1,5 a 2,5 cm de largura, com base arredondada e ápice acuminado (ponta longa) – veja foto abaixo. Flores sempre aos pares nas axilares de ramos maduros e nunca nas brotações como ocorre em (P. macrocarpa). As pétalas são membranáceas (delicadas) e de cor esbranquiçada. Os frutos dão em cachos com 2 a 8 bagas de forma oval, medindo de 5 a 8 cm de comprimento com casca de cor amarronzada quando madura, e formam gomos mais largos e contém polpa mais doce mais espessa e gelatinosa. As sementes são em menor número e maiores do que as de P. macrocarpa. Essas informações são suficientes para provar que a planta encontrada por mim é com certeza uma nova variedade ou espécie a ser catalogada.

 

DICAS DE CULTIVO: Arvore de moderado crescimento que pode ser cultivada em todo o Brasil, tanto em climas tropicais ou subtropicais, resistindo a baixas temperaturas (até -4 graus) e a secas de até 4 ou 5 meses sem chuva. Vegeta bem em altitudes que vão de 500 m a 1.000 m acima do nível do mar, onde o clima é quente, úmido e chuvoso no verão com temperatura média de 12 a 35 graus. O solo deve ser profundo, úmido, com pH neutro (5,5 a 6,8), com constituição arenosa ou argilosa (solo vermelho). É preciso plantas no mínimo 2 plantas para se ter polinização cruzada e maior produção de frutos. A planta começa a florescer com 5 a 6 anos após o plantio, mais só consegue segurar fruto a partir do 9 ano. 

 

MUDAS: As sementes são quase planas, oblongas (mais longas que largas de 1,3 cm de comprimento), tem tegumento ou casca castanho escura, muito dura e são dormentes, necessitando de escarificação (raspar a semente numa lixa) para germinar. Cerca de 20% das sementes germinam em 80 a 120 dias e o restante em 1 ano depois. Convém semear 2 sementes diretamente em embalagens individuais de 20 cm de altura e 8 cm de diâmetro contendo substrato feito de 40% de terra vermelha, 40% de matéria orgânica bem curtida e 20% de areia de rio. As mudas crescem lentamente, atingindo 30 cm com 8 a 10 meses após a germinação. Apreciam ambiente sombreado para formação por no mínimo 2 anos antes do plantio.

 

PLANTANDO: Pode ser plantada em pleno sol, como em bosques com arvores grandes bem espaçadas. Espaçamento 6 x 6 m entre plantas. Faça covas quadradas com 50 cm nas três dimensões e adicione aos 30 cm de terra iniciais retirados da cova, cerca de 500 g de calcário, 1 k g de cinzas e 8 pás de matéria orgânica bem curtida; misturar tudo muito bem encher o buraco e deixar curtir por 2 meses. A melhor época de plantar é nos meses de outubro a dezembro. Após o plantio irrigar a cada quinze dias nos primeiros 3 meses se faltar água. Mantenha a superfície do solo coberta com bastante palha ou capim seco para manter a umidade.

 

CULTIVANDO: Fazer apenas podas de formação da copa e eliminar os galhos que nascerem na base do tronco ou estiverem cruzando a copa interior que precisa estar bem arejada para frutificar. Adubar com composto orgânico, pode ser 4 pás de cama de frango bem curtida + 40 gr de N-P-K 10-10-10 dobrando essa quantia a cada ano até o 3ª ano. A planta tem óleos essenciais nas folhas que tornam a planta resistente a pragas e doenças.

 

USOS: Frutifica nos meses de Agosto a novembro. Os frutos dessa espécie têm melhor qualidade, quantidade e sabor do arilo, sendo muito importante o cultivo e preservação da linhagem da planta encontrada que comprovada a importância de se preservar e estudar mesmo as pequenas glebas de florestas que ainda guardam uma rica biodiversidade em todos os biomas do Brasil.

 

Consulte-nos pelo e-mail hnjosue@ig.com.br ou veja nosso catalogo de mudas disponíveis clicando aqui. – acompanhe-nos no Facebook

 

Voltar para Frutas do Mato  ou Voltar para família das Annonaceae

 

.