PROTIUM KLEINII

FAMILIA DAS BURCERÁCEAS

 

Flores

Frutos maduros

TRONCO

Frutos, polpa e semente

 

 

 

NOMENCLATURA E SIGNIFICADO: GUAPOICÍ-UNA vem do tupi guarani e significa “fruta com resina refrescante” e o adjetivo UNA indica a coloração preta da casca do fruto. Também recebe o nome de Breu de Fruta roxa, Amescla de tronco branco e Guapoi-una.

 

ORIGEM: Espécie rara e endêmica do Brasil, ocorrendo na floresta semidecidua (que perdem as folhas numa época do ano) do estado de São Paulo e mata atlântica (Floresta ombrofila mista ou de Araucária) dos estados de Paraná e Santa Catarina. Mais informações no link:  http://www.floradobrasil.jbrj.gov.br/

 

OBSERVAÇÕES: Esta espécie foi encontrada em nossas expedições pela floresta semidecidual no município de Angatuba – SP em 2.014. Veja o relatório das expedições de 2014 clicando aqui.

 

Características: Arvore de 4 a 7 metros de altura quando cultivada, podendo atingir 25 m, de altura quando na floresta. A copa tem forma de taça com galhos grossos e tortuosos, estando sempre com densa folhagem. O tronco é cilíndrico e as vezes sinuoso (com curva), sendo arredondado no diâmetro e medindo de 20 a 50 cm. A casca é grossa e rugosa de coloração externa acinzentada e com coloração interna rosada e quando ferido exsuda resina odorífera. Os ramos novos são pálidos acinzentados e miudamente lenticelados (com glândulas de trocas gasosas) As folhas são aromáticas e cheiram manga verde; tem formação composta, alternas, imparimpinadas (como pena e terminando com 1 foliolo), com 5 foliolos presos a raque ou suporte central medindo 12 a 28 cm de comprimento com 2 pares de folíolos, A lamina foliar mede 4 a 11 cm de comprimento por 1,7 a 5 cm de largura, com base cuneada (forma de cunha) e ápice agudo e acuminado (com ponta longa). A folha está fixada a raque por pecíolo (haste ou suporte) de 2 a 3,5 cm de  comprimento e engrossado na base. As flores estão reunidas em paniculas (cacho em forma piramidal) de 1,5 a 4 cm de comprimento, com inúmeras flores esverdeadas e pubescentes (cobertas de pelos) na antese. Os frutos são do tipo nuculânio, arredondado, deisentes (que se abrem) com casca roxa ou quase preta, medindo 1,7 a 2,2 cm de largura por 0,9 a 1,4 cm de altura, protegendo 1 ou 2 sementes envolvidas em polpa branca de sabor suave, doce e refrescante.

 

Dicas para cultivo: Planta de clima subtropical, mais resiste a climas temperados onde ocorrem geadas de até – 4 grau; pode ser cultivada em todo o Brasil, em qualquer altitude; adapta-se bem aos solos arenosos ou argilosos e vermelhos que sejam profundos, com pH de ácido a neutro e com boa quantidade de matéria orgânica dissolvida. Essa espécie só não pode ser plantada em solos brejosos ou na beira de rios onde ocorre enchentes periódicas.

 

Mudas: Sementes são do tamanho da metade de um feijão, de cor esverdeada e meio triangulares na largura. Depois de despolpadas e secas, podem ser armazenadas em local escuro, conservando o poder germinativo por 2 a 3 meses. Quando plantadas logo que colhidas, germinam em 40 a 60 dias, com índice de germinação baixo, em torno de 45 a 60%. Recomendo serem plantadas (2 sementes) diretamente em embalagens individuais contendo substrato feito de 30% de areia, 30% de terra vermelha e 40% de matéria orgânica bem curtida. As mudas atingem 30 cm com 9 a 10 meses de idade e apreciam ambiente swombreado para formação. A frutificação inicia-se com 6 a 7 anos, dependendo do solo e tratos culturais.

 

Plantando: Pode ser plantada em pleno sol ou em reflorestamentos mistos, pois produzem frutos comestíveis para a fauna em geral. No pomar planta-se num espaçamento de 5 x 5 m, ou 6 x 6 m se no bioma mata atlântica. As covas devem ter 50 cm de largura, altura e profundidade, devendo ser preenchidas com 20% de areia e cerca de 8 pás de composto orgânico bem curtido; caso o solo seja muito acido é bom colocar 500 g de calcário na cova e deixar curtir por 2 meses antes do plantio. A melhor época de plantio é de setembro a novembro; após o plantio, irrigar com 10 l de água por semana nos primeiros 2 meses.

 

Cultivando: Fazer apenas podas de formação da copa e eliminar os galhos que nascerem na base do tronco ou aqueles que cruzarem o interior da copa. Adubar com composto orgânico, pode ser 4 pás de cama de frango bem curtida e + 30 gr de N-P-K 10-10-10 dobrando essa quantia a cada ano até o 4ª ano e continuar adubando anualmente na primavera. Lembrar de distribuir o adubo na projeção da copa com distancia do tronco igual à medida da circunferência do mesmo.

 

Usos: Frutifica nos meses de Dezembro a Janeiro. Os frutos têm polpa adocicada com leve gosto de jabuticaba e com refrescancia semelhante a uma bala do tipo Halls, podendo ser consumida in natura. A arvore pode ser plantada em praças e grandes jardins por produzir ótima sombra; ou ainda em projetos de revegetação para preservação permanente, visando fornecer alimento para pássaros, quatis e macacos (Principalmente os filhotes de quatis gostam muito dos seus frutos). A resina tem propriedades medicinais e inseticidas.

 

Consulte-nos pelo e-mail hnjosue@ig.com.br ou veja nosso catalogo de mudas disponíveis clicando aqui.  acompanhe-nos no Facebook

 

Voltar para Frutas do mato  ou voltar para família Burceraceae

 

.