PSIDIUM SOROCABENSE

FAMILIA DAS MYRTACEAS

 

PLANTA

FRUTOS e FOLHAS

FRUTOS MADUROS E SEMENTES

 

NOMENCLATURA E SIGNIFICADO: ARAÇÁ DE SOROCABA ou GOIABARANA vem do tupi guarani e significa “Fruta com muitas sementes agregadas” por causa das sépalas persistentes como cílios e a palavra RANA quer dizer semelhante ou parecido com a goiaba. Também recebe o nome de Araçá-goiaba, Goiaba do mato e araçá de Sorocaba.

 

ORIGEM: Espécie muito rara na natureza e endêmica aparecendo na transição do cerrado para a floresta semidecidua que ocorre apenas no estado de São Paulo e Minas Gerais, Brasil. A espécie tipo foi coletada a primeira vez no município de Sorocaba e por isso recebe o nome sorocabense. Mais informações no link: http://www.floradobrasil.jbrj.gov.br/

 

OBSERVAÇÕES: Espécie muito próxima da conhecida Goiaba (Psidium guajava), mais difere desta por ter folhas coriáceas e mais estreitas e longas, enquanto que a goiaba comum tem folhas mas largas e com nervuras secundárias mais grossas. As flores também são diferentes e o pedúnculo (haste ou suporte) do fruto é maior que 2 cm e é pubescente (coberto de pelinhos).

 

Características: É uma arvore de 2 a 3 m de altura, chegando com muita raridade aos 5 m de altura quando no meio da mata. A copa é aberta e os galhos estão dispostos com forma de mesa ou prostrados. O tronco é tortuoso, e curto, medindo 05 a 15 cm de diâmetro. A casca é fina e lisa, de cor pardo amarronzada e manchada pelo desprendimento da casca em pequenas placas. Os ramos jovens são arredondados e com pubescencia (coberto de pelinhos densos). As folhas são simples, opostas, sub-coriáceas (rijas como couro), oblongas (mais longas que largas) e fixada por pecíolo (haste ou suporte) canaliculado (como calha), de 4 a 6 mm de comprimento. O limbo (tecido foliar) mede 7 a 12 cm de comprimento por 2 a 3.5 cm de largura com 9 a 12 pares de nervuras laterais que chegam até o fim da margem. A base é cuneiforme (com forma de cunha) e o ápice é apiculado (com ponta curta). As flores são solitárias ou unifloras (nunca trifloras como na goiabeira) e nascem na axila da folha. Quando aberta é branca com tons rosados, fragrante e mede 1,5 cm de diâmetro, sendo formada por cálice (invólucro externo) com 4 pétalas ovadas de 1 cm de comprimento e tomentosas (coberta de lanugem) internamente; e corola (invólucro interno) formado por 5 pétalas brancas e obovadas de 6  mm de comprimento. Os frutos são bagas oblongas (mais longa que larga) de 3 a 6 cm de diâmetro com casca de cor amarelo esverdeada mesmo quando madura. A polpa é avermelhadsa, doce com teor acidulado, envolvendo cerca de 20 a 35 sementes pequenas.

 

Dicas para cultivo: É de fácil cultivo, pois se adapta a diversos tipos de clima e solo. Pode ser cultivada desde o nível do mar até 1.500 m de altitude. Os índices de chuvas podem variar de 1.200 a 2.000 mm anuais, com a umidade do ar variando de 45 a 85%. Os solos que essa espécie prefere são: os cambissolos (arenosos e ricos em matéria orgânica), latossolo (terra vermelha ou terra amarelada) ou qualquer terreno que tenham as mesmas características de serem bem drenados, profundos e com boa fertilidade natural e tenham pH variando de 4,5 a 6,2. É resistente a mínimas de até -3 graus e a 5 ou 6 meses de seca. Essa espécie pode ser cultivada na beira de riachos e suporta períodos médios de encharcamentos. A planta começa a frutificar com 2 a 3 anos após o plantio.

 

Mudas: Suas sementes são pequenas e com forma de rim. Devem ser colhidas de frutos maduros e lavadas em água corrente sobre uma peneira, devendo essas serem secas ao sol por 4 horas. Depois de limpas e secas as sementes podem ser armazenadas por até 1 anos em embalagens escura, mantendo 80% de seu poder germinativo. Normalmente as sementes devem ser semeadas logo após beneficiadas em sementeira ou saquinhos individuais de 17 por 22 cm, contendo o seguinte substrato: 1 parte de terra vermelha, 1 parte de húmus de minhoca ou composto orgânico bem curtido e 1 parte de areia de rio. Após os ingredientes serem misturados preencha as embalagens e cubra 2 ou 3 sementes por saquinho, com 1 cm de substrato. A irrigação deve ser feita todos os dias e a germinação ocorre em 40 a 60 dias. As mudas atingem 30 cm de altura com 7 a 8 meses de vida, quando já podem ser plantadas em local definitivo. 

 

Plantando: Pode ser plantada tanto na sombra ou em pleno sol num espaçamento 4 x 4 m. As covas devem ter dimensões de 50 cm nas 3 dimensões e convém misturar 30% de areia saibro + 30% de matéria orgânica aos 30 cm de terra da superfície da cova, deixar curtir por 2 meses. A melhor época de plantio é outubro a dezembro, convém irrigar 10 l de água após o plantio e a cada 15 dias se não chover. É planta rústica e muito resistente suportando a seca e a geadas já no primeiro ano após o plantio.

 

Cultivando: A planta cresce rapidamente após o plantio e não necessita de cuidados especiais, apenas deve-se fazer capinas periódicas para que o mato não sufoque a planta. Fazer apenas podas de formação eliminando os ramos que nascerem na base do tronco e os galhos voltados para baixo ou para o interior da copa. Adubar com composto orgânico, pode ser 2 pás de cama de frango + 30 g. de N-P-K 10-10-10 distribuídos em círculos à 5 cm de profundidade e distanciados 15 cm do caule. Dobrar a adubação a cada ano até o terceiro ano.

 

Usos: Frutifica em março a julho. Os frutos têm sabor acidulado que lembra sabor misturado de morango com goiaba, muito boa para consumo in natura. Com os frutos também se pode fazer sucos (com leite fica nota 10), geleias, doces e sorvetes saborosos. Por ser planta de pequeno porte, serve muito bem para arborização urbana sob redes elétricas. As flores são apícolas. Essa espécie não pode faltar em projetos de reflorestamentos, pois a planta é muito rústica quando em solos fracos e a pleno sol e sua produção precoce de frutos alimentam diversas espécies de pássaros e animais silvestres. 

  

Consulte-nos pelo e-mail hnjosue@ig.com.br ou veja nosso catalogo de mudas disponíveis clicando aqui.  acompanhe-nos no Facebook

 

 

Voltar para Frutas do mato  ou Voltar para família das Myrtaceae

 

.