TALISIA ESCULENTA

FAMÍLIA DAS SAPINDACEAE

 

AGRADECEMOS SUA VISITA E DESEJAMOS QUE AS INFORMAÇÕES LHE SEJAM ÚTEIS PARA AJUDAR A PRESERVAR NOSSA FLORA E MELHORAR A QUALIDADE DE VIDA. MAS GOSTARIA DE LEMBRAR QUE MUITO TRABALHO, PESQUISAS E CUSTOS ESTÃO ENVOLVIDOS PARA PODER DISPONIBILIZAR INFORMAÇÕES GRATUITAMENTE. DESSA FORMA APRECIAREMOS SUA COLABORAÇÃO EM ADQUIRIR OS GUIAS FRUTAS DO MATO PARA AJUDAR A MANTER O PROJETO, OU TAMBÉM ACEITAMOS DOAÇÕES QUE PODERÁ NOS ESCREVER SOBRE, NO E-MAIL QUE ESTÁ NO FINAL DESSA PAGINA.  

 

 

 

 

Folhas e flores

Frutos maduros

 

NOMENCLATURA E SIGNIFICADO: PITOMBA – a etimologia ou significado não foi descoberto. Também recebe os nomes de pitomba do norte. fruta de macaco, Olho-de-boi e Fejão-crú.

 

ORIGEM: nativa de vários biomas do Brasil, ocorrendo sempre próximo aos cursos de agua da mata de galeria dos cerrados e floresta de terra firme e ombrófila densa das regiões norte nordeste, centro-oeste e sudeste do Brasil. Mais informações no link: http://servicos.jbrj.gov.br/flora/search/Talisia_esculenta

  

CARACTERISTICAS: Arvore de médio porte, crescendo de 6 a 10 m de altura. A copa é globosa e densa, o tronco é cilíndrico e ereto com casca fina e levemente áspera com coloração esverdeada quando mais jovem para acinzentada quando mais velha. As folhas são imparinpinadas (como penas terminando com folíolo impar) com raque (suporte central) não alado (sem asa) medindo de 15 a 25 cm de comprimento, contendo 2 a 4 pares de folíolos subalternados de textura papirácea (como papel), medindo 4.5 a 10 cm de comprimento por 2 a 3 cm de largura, com base cuneada (como cunha) e ápice apiculado (com ponta curta), a margem é levemente ondulada. As flores surgem em panículas terminais (cacho na ponta dos ramos) de 20 a 30 cm de comprimento com muitas flores pequeninas com minúsculas sépalas esverdeadas e pétalas amarelo esbranquiçadas. O fruto é uma drupa arredondada, apiculada (com pequena ponta) com casca grossa de cor amarelo-acastanhado quando madura, medindo 2 a 3 cm de altura por 1,7 a 2,5 cm de largura, com 1 ou 2 semente envolvida em uma polpa carnosa doce e translucida.

 

Dicas para cultivo: É planta de crescimento moderado, de origem tropical, mais que se adapta bem ao clima subtropical, suportando geadas de até - 1 grau. Pode ser cultivada em todo o Brasil, em qualquer altitude e em solos profundos, férteis, de drenagem rápida, com pH entre 4,8 a 5,6, com constituição arenosa ou argilosa (solo vermelho). Pode ser plantada tanto em pleno sol como na sombra em lugares livres de encharcamento na época das chuvas. A melhor época de plantio é de outubro a dezembro.

 

Mudas: As sementes são ovoides, com 1,2 a 1,8 cm de comprimento, tem cor creme, e são recalcitrantes (perdem o poder germinativo rapidamente). Recomendo que sejam plantadas logo após a remoção da polpa diretamente em embalagem individual contendo substrato de 30% de terra vermelha, 30% de areia branca de rio e 40% de composto orgânico bem curtido. Colocar 1 semente por embalagem, cobri-la com 1 cm de substrato, deixar em local com 40% de sombreamento e irrigar diariamente. O índice de germinação é em torno de 85% e inicia-se com 40 a 60 dias. As mudas crescem lentamente, atingindo 35 cm com 9 a 10 meses após a germinação.

 

Plantando: Plantar no espaçamento é de 6 x 6 m para clima subtropical ou 8 x 8 m para clima tropical. As covas devem ter 50 cm de altura, largura e profundidade e ser preenchidas com 500 g de cinzas, 500 g de calcário e 5 a 6 pás de matéria orgânica bem curtida. Depois de prontas devem ficar curtindo por 2 meses antes do plantio definitivo. Irrigar a cada quinze dias nos primeiros 3 meses, depois somente se faltar água na época da florada. Em clima subtropical a Pitombeira leva de 6 a 8 anos para começar a produzir, e em clima tropical começa a produzir com 4 a 5 anos.

 

Cultivando: A planta não necessita de cuidados especiais, apenas deve-se cobrir a superfície com maravalha de madeira e eliminar qualquer erva daninha que possa sufocar a planta. Adubar a partir com composto orgânico feito de folhas apodrecidas + esterco de galinha curtido e 30 g de N-P-K 10-10-10. Distribuir os nutrientes à 5 cm superficialmente a 20 cm do caule de preferência no mês de outubro quando a planta inicia nova brotação.

 

Usos: Frutifica de janeiro a março no Sitio Frutas Raras. Os frutos são muito saborosos e pode ser consumidos in natura, muito embora a camada do arilo comestível seja muito pequena em relação ao tamanho do fruto. Os frutos de plantas cultivadas melhoram no tamanho, quantidade e qualidade da polpa. A polpa tem grande potencial para ser utilizada para fazer geléias, sorvetes e licores deliciosos. A planta é muito ornamental e é indicada para cultivo em praças e como arvore de sombra. É uma planta que não deve faltar em projetos de reflorestamentos pois seus frutos alimentam a ave-fauna em geral.

  

Consulte-nos pelo e-mail hnjosue@ig.com.br ou veja nosso catalogo de mudas disponíveis clicando aqui.  acompanhe-nos no Facebook

 

 

Voltar para Frutas do Mato ou Família das Sapindaceas

 

.